O homem propriamente dito deve tomar consciência de sua substância. Assim sendo, o novato passa de um grau para outro, da disciplina corporal para a disciplina emocional e daí para a intelectual. Os três grupos combinam-se para formar um desdobramento progressivo das suas capacidades e de sua compreensão. É importante notar que se trata de etapas e não terminais. A verdade aprendida é sempre proporcional ao nível de compreensão do indivíduo. - PB

A necessidade da Graça - parte 2

É tão difícil para o ego julgar-se honestamente e observar as suas ações a partir de uma perspectiva correta, como é, para o ser humano, erguer-se por seus próprios pés. O ego simplesmente não pode fazê-lo; sua capacidade para encontrar desculpas para si próprio é ilimitada – mesmo a desculpa da retidão, mesmo a desculpa da busca da verdade. Tudo o que o aspirante pode esperar fazer é diminuir o volume das influências do ego e enfraquecer a sua força; mas livrar-se do ego inteiramente é algo que está além da sua capacidade. Consequentemente, um poder exterior precisa ser convocado. Existe apenas um poder assim disponível para ele, embora possa manifestar-se de dois modos diferentes – é o poder da Graça. Esses modos são: a ajuda direta do seu próprio eu mais elevado, ou a ajuda pessoal de um ser mais elevado, isto é, um instrutor iluminado. Ele pode buscar o primeiro a qualquer momento, mas não pode, justificadamente, buscar o segundo antes de ter trabalhado suficientemente em si mesmo, antes de ter avançado o suficiente para justificar isso.

Quando o ego é forçado a ajoelhar-se no pó, humilhado aos seus próprios olhos, embora conceituado ou temido, invejado ou respeitado aos olhos dos outros homens, o caminho está aberto para o influxo da Graça. Esteja seguro de que esse ato do indivíduo interior, de tornar-se completamente humilde, acontecerá repetidamente até que ele esteja purificado de todo o orgulho.

Como poderia ele ver na clara luz seu egocentrismo Inabalável, como confessar isso a si mesmo se o ego, por si mesmo, teria de ajudar a fazer emergir tal confissão?

A virtude e a compaixão diminuem o ego, mas não trazem a iluminação.

Os sentidos que o tentam para que se desvie do seu caminho de conduta escolhido, no devido tempo, poderão ser subjugados através dos pensamentos corretos. Os pensamentos que o distraem do caminho de meditação escolhido poderão ser subjugados através do esforço permanente. Mas o ego, que impede sua entrada no reino dos céus, se recusa, e só pretende, subjugar a si mesmo. 

Onde está o homem que não assume a realidade do ego? Ele está iludido, por certo, mas o que mais poderia ele fazer se tem de atender às solicitações da vida diária? A resposta é que ele não pode fazer muito mais – a não ser que a Graça venha e atenda suas necessidades por ele!

Poderá gostar de

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
O curandeiro não "faz" ou "dá" algo ao paciente, mas ajuda-o a voltar para o Todo, para o caminho da "Unidade" com o Universo; neste "encontro" o paciente se torna mais completo, e isto é cura. Nas palavras de Arthur Koestler: "Não há linha divisória nítida entre a auto-reparação e a auto-realização". - Lawrence LeShan

Observe, você não é aquilo que você pensa que é. Você não é somente aquilo que seu o seu meio ambiente lhe fez. Há mais realidade em si do que aquela que lhe é dada social e externamente. Você possui outra personalidade bastante diferente daquela que você mesmo tem certeza de que você é. — Gopi Krishna

A meditação em si, não é o Caminho. O Caminho é o CONTATO! A meditação apenas serve de meio para atingirmos o silêncio interior, onde o CONTATO é feito. — Joel S. Goldsmith

"Senhor, como uma ovelha perdida que anda de um lado para outro, procurando o caminho, também eu te procurava no exterior, quando Tu estavas em mim... Percorri ruas e praças da cidade deste mundo, buscando-Te sempre... e não Te encontrei porque em vão procurava fora o que estava dentro de mim." - Agostinho

"A paz que você procura está no silêncio que você não faz"

"Melhor seria viver apenas um único dia no aperfeiçoamento de uma boa vida em meditação do que viver cem anos de forma má e com uma mente indisciplinada.

Melhor seria viver apenas um único dia na busca do entendimento e da meditação do que viver cem anos na ignorância e na imoderação.

Melhor seria viver apenas um único dia no começo de um diligente esforço do que viver cem anos na indolência e inércia.

Melhor seria viver apenas um único dia pensando na origem e na cessação do que é composto do que viver cem anos sem pensar em tal origem e cessação.

Melhor seria viver apenas um único dia na percepção do estado Imortal do que viver cem anos sem tal percepção.

Melhor seria viver apenas um único dia conhecendo a Doutrina Excelsa do que viver cem anos sem conhecer a Doutrina Excelsa". — O Buda, dos DHARMMAPADA

Velai incessantemente para que não haja em vosso coração nenhum pensamento, nem insensato, nem sensato: não tardareis a reconhecer os estrangeiros, isto é, os primogênitos dos egípcios. — Hesíquio, o Sinaíta (Século VIII)