O homem propriamente dito deve tomar consciência de sua substância. Assim sendo, o novato passa de um grau para outro, da disciplina corporal para a disciplina emocional e daí para a intelectual. Os três grupos combinam-se para formar um desdobramento progressivo das suas capacidades e de sua compreensão. É importante notar que se trata de etapas e não terminais. A verdade aprendida é sempre proporcional ao nível de compreensão do indivíduo. - PB

O que é Deus para você?

P: Você quase nunca fala sobre Deus. O que é Deus para você? 

R: Para encontrar aquilo que o conceito de Deus aponta, você precisa abandonar a imagem e todos os conceitos que você criou sobre Deus. Você deve ousar derrubar todos seus conceitos e entrar no perfeito vazio, perfeito silêncio, perfeita imobilidade. Você deve esquecer tudo que já aprendeu sobre Deus, nada disso vai te ajudar. Este conhecimento pode até lhe confortar, mas este conforto é imaginário, uma ilusão. Abandone todos os falsos confortos da mente. Deixe todos chegarem ao seu final. O final deve ser observado completamente no silêncio. Quando todas suas imagens, conceitos, esperanças e crenças acabam, o silêncio é observado. 

Observe o núcleo do silêncio. Mergulhe nele e se renda totalmente. Se rendendo completamente ao silêncio, você experimenta diretamente aquilo que o conceito de Deus aponta. Nesta experiência direta, você acorda do seu sonho da mente e descobre que aquilo que o conceito de Deus aponta é quem você é. 

Adyashanti, The Impact of Awakening

Antes do Eu Sou

"Pergunta: Mooji, você sempre lança a pergunta “Quem é você?” na nossa cara… Então, agora eu lhe pergunto: “Quem é você?”
Mooji: Eu sou o atemporal, o imutável, o Real.

Pergunta: De onde você veio?
Mooji: De lugar nenhum.

Pergunta: Mas você está aqui!
Mooji: Sim, sempre assim.

Pergunta: Por que você veio?
Mooji: A pergunta “por que?” é irrelevante. Eu nunca vim, eu nunca irei; eu sou a existência além de qualquer razão ou causa; Eu Sou, além da mente e de seu mundo, assim como você.

Pergunta: Mas eu posso vê-lo, sentado aqui perante mim!
Mooji: Sim, antes de “mim”, eu sou. O que você vê não é o que eu sou.

Pergunta: Eu não entendo…
Mooji: Você não pode entender a Verdade, você pode apenas conhecê-la, realizando que você é a própria Verdade. Não pense que a mente o ajudará. O papel dela é lhe confundir, é provocar dúvidas em você – um trabalho que ela faz muito
bem. [Risadas]

A única coisa é que ela precisa da sua cooperação para enganá-lo – um trabalho que você faz muito bem [Risadas]
É um jogo, e é por isso que é chamado de leela - o jogo de Deus. É a sua própria Maya brincando com você.

Pensamentos vêm e vão; o Ser, não. Você testemunha os pensamentos. Você é a tela imutável na qual os pensamentos são percebidos, e você é quem os percebe também – essa é a charada da existência.
Enquanto você se identificar com a mente-ego, você não percebe o óbvio – a sua própria presença sem forma.

Pergunta: Como eu posso encontrar esta presença da qual você estáfalando?
Mooji: Ela não pode ser “encontrada”. Ela apenas é, e você já é isso. Pode você traçar uma linha entre você e o Ser?
Encontre primeiro aquele que tenta encontrar alguma coisa, e então veja se ainda existe algo para encontrar.

Pergunta: Mas, na verdade, eu não sei o que é “presença sem forma”!
Mooji: Claro que você não sabe! Ela também não pode ser “conhecida”. Quem é que está buscando? O que é isso que quer saber?

Pergunta: Eu!
Mooji: Certo, e o que é “eu”? Apresente-se.

Pergunta: Tudo isso: meu corpo, minha mente, meus pensamentos, desejos também, minha alma…

Mooji: Quem ou o que diz isso? Quem vê isso? Antes que elas alcançassem sua boca, de ode é que essas palavras emergiram?
Você me dá uma lista de coisas, você diz: “meu” corpo. Eu digo: corpo de quem? Ele lhe pertence, assim como o seu carro ou suas roupas? Você também diz: “minha mente”, não diz? Significando que é sua, não você. Até mesmo “minha
alma” – você diz: “minha alma está se deleitando” ou “minha alma estava pesada com mágoas…”

A alma está mudando; você permanece por trás, você testemunha o que acontece m sua alma. Então, quem é você?

Pergunta: Eu, eu mesmo…
Mooji: Anterior aos pensamentos e às palavras, anterior ao seu surgimento, aquilo que nem os precede nem os segue – o que é aquilo?

Não toque neste “eu”. Isso é apenas uma palavra, apenas um conceito. Olhe. Não pense. Permaneça em silêncio. Observe.

Pergunta: Nada… Eu vejo absolutamente nada (nothing)!
Mooji: ”Nada” (No thing) está correto. “Nada” querendo dizer sem forma, além da forma, além do tempo. Você não é uma “coisa”; como poderia ser? Qualquer coisa, mental ou física, aparece, flutua ou se move, através da sua consciência. E nós somos a testemunha desta consciência, do seu conteúdo e atividade.

Você pode confirmar isso?

Pergunta: Sim… sim… então eu sou o mesmo que você?
Mooji: Sim. Apenas remova o pensamento “o mesmo que”.
Pergunta: Eu sou você.

Mooji: Sim. [Pausa] Eque tal apagar o “você”? Você pode fazê-lo?

P: [Longo silêncio]
Mooji: Quando você disse “eu sou você”, a palavra “você” se refere a Mooji? Você se refere a este corpo sentado nesta cadeira? [Mooji sacode seu corpo como se fosse um boneco]

Este corpo é Mooji? Quem é Mooji?
Este corpo não é diferente daquele corpo ou todos os outros corpos [apontando para as pessoas na sala]. Ele é feito dos elementos e é comida elementar. Os vermes ou o fogo estão esperando por ele. É isto que você é?

Muitos místicos dizem estas coisas: “Tudo é Um, Eu sou você, você é eu, sem diferença…”. Mas se não é a sua experiência, são apenas palavras para você, palavras vazias, e isto pode ser sentido imediatamente. É melhor não dizer nada, ficar quieto.
Então, novamente, o que é você?

Pergunta: Eu sou.
Mooji: Sim, muito bem. Agora solte o “eu sou”.[Longo silêncio]

Pergunta: Quem é que vai apagar/soltar o “eu sou”?
Mooji: Você é que me diz!

[O questionador sorri]
Pergunta: Se eu não sou nada, então nada apaga coisa nenhuma, o apagar acontece.

Mooji: De fato. Muito verdadeiro. Agora, nem se preocupe com “apagar” e “acontecer”. Não pegue nenhuma arrogância. Não pegue nenhuma ideia. Não pegue absolutamente nada."
Mooji em Antes do Eu Sou, Diálogos com Mooji

Poderá gostar de

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
O curandeiro não "faz" ou "dá" algo ao paciente, mas ajuda-o a voltar para o Todo, para o caminho da "Unidade" com o Universo; neste "encontro" o paciente se torna mais completo, e isto é cura. Nas palavras de Arthur Koestler: "Não há linha divisória nítida entre a auto-reparação e a auto-realização". - Lawrence LeShan

Observe, você não é aquilo que você pensa que é. Você não é somente aquilo que seu o seu meio ambiente lhe fez. Há mais realidade em si do que aquela que lhe é dada social e externamente. Você possui outra personalidade bastante diferente daquela que você mesmo tem certeza de que você é. — Gopi Krishna

A meditação em si, não é o Caminho. O Caminho é o CONTATO! A meditação apenas serve de meio para atingirmos o silêncio interior, onde o CONTATO é feito. — Joel S. Goldsmith

"Senhor, como uma ovelha perdida que anda de um lado para outro, procurando o caminho, também eu te procurava no exterior, quando Tu estavas em mim... Percorri ruas e praças da cidade deste mundo, buscando-Te sempre... e não Te encontrei porque em vão procurava fora o que estava dentro de mim." - Agostinho

"A paz que você procura está no silêncio que você não faz"

"Melhor seria viver apenas um único dia no aperfeiçoamento de uma boa vida em meditação do que viver cem anos de forma má e com uma mente indisciplinada.

Melhor seria viver apenas um único dia na busca do entendimento e da meditação do que viver cem anos na ignorância e na imoderação.

Melhor seria viver apenas um único dia no começo de um diligente esforço do que viver cem anos na indolência e inércia.

Melhor seria viver apenas um único dia pensando na origem e na cessação do que é composto do que viver cem anos sem pensar em tal origem e cessação.

Melhor seria viver apenas um único dia na percepção do estado Imortal do que viver cem anos sem tal percepção.

Melhor seria viver apenas um único dia conhecendo a Doutrina Excelsa do que viver cem anos sem conhecer a Doutrina Excelsa". — O Buda, dos DHARMMAPADA

Velai incessantemente para que não haja em vosso coração nenhum pensamento, nem insensato, nem sensato: não tardareis a reconhecer os estrangeiros, isto é, os primogênitos dos egípcios. — Hesíquio, o Sinaíta (Século VIII)