O homem propriamente dito deve tomar consciência de sua substância. Assim sendo, o novato passa de um grau para outro, da disciplina corporal para a disciplina emocional e daí para a intelectual. Os três grupos combinam-se para formar um desdobramento progressivo das suas capacidades e de sua compreensão. É importante notar que se trata de etapas e não terminais. A verdade aprendida é sempre proporcional ao nível de compreensão do indivíduo. - PB

Sou eu capaz de vislumbrar o SER?

Paul Brunton: Quando tropeçamos e caímos no caminho, que devemos fazer?

Ramana Maharshi: Tudo dará certo no fim. Basta uma firme decisão de que você colocará seus pé novamente no caminho, mesmo depois da queda ou quebra. Com o tempo, pouco a pouco, os obstáculos vão se enfraquecendo e suas energias se tornando mais fortes. Tudo dará certo no fim. A única coisa que se pede é uma firme determinação. 

Paul Brunton: Minhas tendências inatas fazem com que me distraia. Podem ser cortadas pela raiz? 

Ramana: Sim. Os outros já o fizeram. Por conseguinte acredite nisso. Eles conseguiram porque acreditaram que podiam fazê-lo. Isso podia ter sido feito pela concentração. Naquilo que é livre de predisposições e continua sendo o âmago deles. Se o anseio estivesse aí, a Realização estaria forçada a vir, mesmo se você não quisesse.

Paul Brunton: É necessário desenvolver qualidades?

Ramana: Somente para os principiantes, por revelarem tendências a desenvolver diferentes tipos de qualidades. Para os adiantados é suficiente olhar para dentro de sua própria natureza. este é o método direto. Todos os outros caminham envovem o ego. Somente este responde a pergunta "o que é o ego?" A pergunta "que sou eu?" é um eixo que leva à raiz do ego e o destrói. 

Paul Brunton: receio que este último alvo não seja coisa fácil de buscar. 

Ramana: Por que ridicularizar a si próprio pelo receio a respeito de sucesso ou fracasso no percurso? Vá em frente! Entregue-se à meditação profunda. Afaste todas as outras compensações da vida. A vida calculista não será coroada de êxito espiritual. Sim, a entrega total é impossível no início. A entrega parcial é certamente possível para todos; no decorrer do tempo, isso levará à entrega completa. Bem, se a entrega parcial fosse impossível, como fazer então? A mente não tem paz. Você está impotente para trazê-la de volta. isso poderia ser feito somente pela entrega.(...) Todas as vezes que você tiver pensamento sobre a dificuldade, disponha dele completamente, procurando descobrir com que motivo e de onde ele surgiu. 

Paul Brunton: Sou eu capaz de vislumbrar o SER? Parece tão difícil?

Ramana: Você já é o SER. Não obstante, a percepção é para cada um. A conscientização não conhece diferença entre os aspirantes. Esta sua dúvida: "serpa que eu sou capaz de vislumbrar", ou a sentença: "ainda não me conscientizei" são obstáculos. Fique livre disso também. 

Paul Brunton: Não obstante, a menos que eu tivesse experiência, como posso me libertar desses conflitantes pensamentos?

Ramana: Também estes estão na sua mente. Ficam aí porque você se identificou com o corpo. Do momento em que essa errada identificação deixar de pertencer-lhe, a ignorância desvanecer-se-á e a Verdade lhe será revelada. 

A IMORTALIDADE CONSCIENTE 

Olhe para o seu coração e siga a sua natureza

" Buda disse : siga sua natureza. Esta é uma das mais belas declarações: 'Olhe para o seu coração. Siga a sua natureza'. Buda não falou que se deva seguir as escrituras. Ele não está dizendo, siga-me.
Ele não está dizendo, siga certas regras de conduta. Ele não está ensinando a você qualquer moralidade. Ele não está tentando criar um certo caráter em você, porque todo caráter é uma bela cela de uma prisão. Ele não está dando a você um certo caminho para viver. Ao invés disso, ele está lhe dando coragem para seguir a sua própria natureza. Ele quer que você seja corajoso o bastante para ouvir o seu próprio coração e seguir, de acordo com ele.

Siga a sua natureza' quer dizer: flua com você mesmo. Você é a escritura... e escondido lá no fundo de você ainda está uma pequena voz. Se você se tornar silencioso, você será guiado por ela.

O Mestre tem apenas que tornar você consciente de seu Mestre interior. Aí a sua função estará completa. Aí ele poderá deixar você consigo mesmo, ele poderá mandar você de volta para você mesmo. A proposta de um Mestre não é escravizar um discípulo, a proposta de um Mestre é libertá-lo, é lhe dar total liberdade. E essa é a única possibilidade de se atingir a liberdade total: 'Siga a sua natureza'.

Por 'natureza', Buda quer dizer Dhamma. Assim como é da natureza da água fluir para baixo e é da natureza do fogo se expandir para o alto, assim existe uma certa natureza escondida dentro de você. Se todos os condicionamentos que foram impostos a você pela sociedade forem removidos, de repente você irá descobrir a sua natureza.

A sua natureza é tornar-se Deus. Ais Dhammo sanantano - essa é a lei eterna e inesgotável: sua natureza é tornar-se Deus.

O homem é um Deus em potencial, um bodhisattva. O significado do homem é tornar-se Deus. Menos do que isso não irá satisfazer você, menos do que isso não terá utilidade. Você pode ter todo o dinheiro do mundo, todo o poder, todo o prestígio possível, e ainda assim você permanecerá vazio. A não ser que a sua natureza divina floresça, abra os seus botões, a não ser que você se torne um lótus, mil pétalas de lótus, a não ser que a sua divindade seja revelada a você, você nunca estará satisfeito.
Ao homem religioso comum é dito para que permaneça satisfeito e contente, em qualquer que seja a situação. Os chamados santos religiosos seguem ensinando às pessoas: 'fique satisfeito'. A satisfação é um de seus ensinamentos fundamentais. Esse não é o caminho dos verdadeiros Mestres."

Osho

Resgatando as faculdades da percepção

Onde não existe faculdade percipiente não há percepção, embora o objeto esteja presente. 
Exemplifiquemos: um cego não pode perceber a luz que o envolve, porque lhe falta o competente órgão perceptivo. O surdo não ouve a música que vibra na atmosfera ao redor dele, porque não tem o órgão necessário para essa percepção. A vista humana apreende cores do vermelho ao violeta, mas não apreende normalmente os raios infra-vermelhos e ultra-violeta, que são tão reais como as do conhecido espectro solar ou do arco-iris. Existem milhões de milhões de cores, tantas quantas são as várias vibrações da energia radiante, mas a natureza não nos deu órgãos para a percepção dessas cores ultra-sensíveis. Coisa análoga acontece com as vibrações aéreas; o ouvido humano percebe sins apenas entre 20 e 20.000 vibrações por segundo; vibrações de frequência inferior ou superior a esses dois limites extremos são, para nós, silêncio. Existem animais, como certos cães, que percebem até 35.000 por segundo; e o morcego é dotado de um ouvido tão apurado que percebe até 100.000 vibrações por segundo, sons silenciosos ou "super-sônicos" que esse radar volante também pode produzir com o próprio corpo, porque dele necessita para a sua vida. 

Todo homem normal adulto possui uma faculdade que percebe realidades que nenhuma animal irracional pode perceber; possui a faculdade da "inteligência", que percebe essa estranha realidade que em ciência e filosofia chamamos de "relações", sobretudo a relação da causalidade que vigora entre os seres individuais da natureza. 

Toda a cultura, civilização, ciência, arte e religião da humanidade estão essencialmente baseadas sobre a faculdade que o homem tem de perceber relações existentes entre as coisas do mundo. A ausência dessa faculdade é a razão única porque o irracional não possui cultura e civilização e seus derivados. 

Em resumo: existem ao redor de nós realidades, materiais e imateriais, que percebemos ou deixamos de perceber segundo a posse ou falta de órgãos ou faculdades percipientes. 

Ora, fato análogo ocorre nos domínios do mundo superior: existem realidades que o homem comum, no estado atual da sua evolução, não percebe, ou porque lhe falta a correspondente faculdade, ou porque essa faculdade, embora existente, não se acha devidamente desenvolvida no homem comum. Há, todavia, e tem havido em todos os tempos, homens, homens de elite, espécimes avançados de homo sapiens, que percebiam e percebem, contínua ou intermitentemente, essas realidades. Nessa percepção da Realidade mais ampla é que consiste a verdadeira grandeza dos gênios da humanidade, acima de todos, a grandeza única de Jesus de Nazaré, para o qual a visão intuitiva e perene dessa Realidade Suprema — céus, reino dos céus, reino de Deus — era o clima natural da sua vida e atividade. Se o resto dos seres humanos atingisse a mesma evolução, é certo que também nós seríamos iguais ao Cristo — e iguais a eles seremos, mais dia menos dia, como afirmam São paulo, São João, e outros videntes. 

O que comumente chamamos "sobrenatural" não é sobrenatural em si mesmo, absolutamente, senão apenas relativamente, isto é, com relação ao estado atual da nossa evolução. Do ponto de vista de Deus, e à luz de uma evolução humana superior, tudo aquilo que hoje chamamos "sobrenatural" é natural. Deus é infinitamente natura, e é esta a razão por que nós não o podemos compreender, por sermos apenas finitamente naturais. A sobrenaturalidade da nossa vida decrescerá e a naturalidade crescerá na razão direta da evolução das nossas faculdades percipientes. Quem percebe a Realidade total, como Deus, é santo (sano), perfeito; porque, a noção clara de Deus é idêntica ao amor universal, e santidade (sanidade) não é senão amor universal. 

Huberto Rohden

Poderá gostar de

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
O curandeiro não "faz" ou "dá" algo ao paciente, mas ajuda-o a voltar para o Todo, para o caminho da "Unidade" com o Universo; neste "encontro" o paciente se torna mais completo, e isto é cura. Nas palavras de Arthur Koestler: "Não há linha divisória nítida entre a auto-reparação e a auto-realização". - Lawrence LeShan

Observe, você não é aquilo que você pensa que é. Você não é somente aquilo que seu o seu meio ambiente lhe fez. Há mais realidade em si do que aquela que lhe é dada social e externamente. Você possui outra personalidade bastante diferente daquela que você mesmo tem certeza de que você é. — Gopi Krishna

A meditação em si, não é o Caminho. O Caminho é o CONTATO! A meditação apenas serve de meio para atingirmos o silêncio interior, onde o CONTATO é feito. — Joel S. Goldsmith

"Senhor, como uma ovelha perdida que anda de um lado para outro, procurando o caminho, também eu te procurava no exterior, quando Tu estavas em mim... Percorri ruas e praças da cidade deste mundo, buscando-Te sempre... e não Te encontrei porque em vão procurava fora o que estava dentro de mim." - Agostinho

"A paz que você procura está no silêncio que você não faz"

"Melhor seria viver apenas um único dia no aperfeiçoamento de uma boa vida em meditação do que viver cem anos de forma má e com uma mente indisciplinada.

Melhor seria viver apenas um único dia na busca do entendimento e da meditação do que viver cem anos na ignorância e na imoderação.

Melhor seria viver apenas um único dia no começo de um diligente esforço do que viver cem anos na indolência e inércia.

Melhor seria viver apenas um único dia pensando na origem e na cessação do que é composto do que viver cem anos sem pensar em tal origem e cessação.

Melhor seria viver apenas um único dia na percepção do estado Imortal do que viver cem anos sem tal percepção.

Melhor seria viver apenas um único dia conhecendo a Doutrina Excelsa do que viver cem anos sem conhecer a Doutrina Excelsa". — O Buda, dos DHARMMAPADA

Velai incessantemente para que não haja em vosso coração nenhum pensamento, nem insensato, nem sensato: não tardareis a reconhecer os estrangeiros, isto é, os primogênitos dos egípcios. — Hesíquio, o Sinaíta (Século VIII)